domingo, 31 de outubro de 2010

Silêncio




Um “eu” em mim busca desesperadamente ouvir os sons externos
Tornando-me apenas um ser como muitos
Com a voz presa pelo silêncio repentino
Da necessidade de encontrar o meu próprio caminho


Encontro no silêncio um refúgio
Para uma existencia expandida
De vontades reprimidas
Movidas por impulsos


De repente percebo
Que estou em desespero
Sem querer me ouvir
No silêncio que há em mim


E assim, com o tempo
Livro-me do silêncio






Tallita Monteiro

5 expressões:

  1. Cada dia mais inspirada essa poetisa, ta massa

    ResponderExcluir
  2. essa eh minha best sempre inspirada e postando poemas um mais lindo q o outro.

    ResponderExcluir
  3. òhhh.... desiste da enfermagem e da fonoaudiologia.... vá ser poeta!

    ResponderExcluir
  4. Amiga!! perfeitooo minha poetisa mais lindaaaa! adorooo gislene

    ResponderExcluir
  5. muito massa....essas palavras descrevem meus momentos de loucura....por isso amo a tatazinhazinhazinha......do dandanzinho

    ResponderExcluir

Espero prender a atenção de vocês e fazer com que se identifiquem com cada palavra lida. Viaje comigo nessa imensidão de palavras.
Obrigado por comentar...Volte sempre!