quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Eu e você² ....



Desvio de ti o meu olhar
E ainda assim meu coração insiste por ti chamar
Vivo em suspiros quando me pego pensando em você
E acabo insistindo nessa mania de ti ter

Longos são os dias que não te vejo
E estar perto de ti é o que mais desejo
Até suas simples mensagens animam meu dia
E a felicidade até meus sonhos contagia

Decifro esse sentimento como a melhor parte de mim
Um amor que nasceu aos poucos e parece não ter fim
Até tento me esquivar e não muito me envolver
Mas meu coração sempre insisti em te querer

E logo eu que não acreditava em encanto
Acabei por ele me apaixonando
Não há mais como tentar esconder
Simplesmente aprendi a amar você



Tallita Monteiro

4 expressões:

  1. Menina teu blog é lindo! E suas palavras inspiradoras.Adorei o texto é tão lindo falar em amor, deixar um alguém dominar nossas emoções. Beijos, estou seguindo.

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde Tallita,

    Linda tua poesia, tão cheia de ternura e amor, toca inteiramente o coração. Falas de amor de uma forma tão simples, romântica e clara, que é adorável. Amei. És uma tremenda poeta, parabéns!

    Bjs, abençoado seja teu coração e tua vida!

    ResponderExcluir
  3. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Alma de poesia. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Seja muito bem vinda ao meu cantinho, sempre que eu puder passarei por aqui.Beijos.

    ResponderExcluir

Espero prender a atenção de vocês e fazer com que se identifiquem com cada palavra lida. Viaje comigo nessa imensidão de palavras.
Obrigado por comentar...Volte sempre!