domingo, 6 de outubro de 2013

Palavras Avulsas


Amar, um verbo tão simples de se conjugar,
Porém tão complexo de viver (...)
O mesmo amor que cura é muitas vezes o mesmo que fere.
Ah! Como seria Bom entender esse paradoxo do Amor!




4 expressões:

  1. Eu tb queria entender tb... rs

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Talvez tua própria imagem te explique um pouco do amor. O bolo é aquele que fica na forma ou a fatia que foi para o prato? Não serão ambos? Assim é o amor, inexplicavelmente o que está em nós e o que já não está. O que demos e se foi, e o que não pudemos dar e ficou. O que foi doce ao paladar de alguém, e o que é doce para nenhum outro paladar. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que o amor é vítima, risos. Sério! Nós somos muitos falhos. Por mais que o amor seja grande, nós optamos por outros sentimentos que afastam o amor. Logo, traz uma dor inevitável. Sei lá! É um assunto bem paradoxal mesmo. Adoro postagens que nos fazem refletir. Também adoro o seu blog. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde Tallita.. culpamos sempre o amor das feridas e desamores.. será que não nos iludimos demais com ele para termos que conviver com a desilusão.. se estamos em equilibrio com nós mesmos saberemos intuir o amor e as pessoas que vamos conviver.. no mais é só aquela lei ação e reação.. a gente lança coisas e uma hora tem que colher.. bjs e um lindo dia

    ResponderExcluir

Espero prender a atenção de vocês e fazer com que se identifiquem com cada palavra lida. Viaje comigo nessa imensidão de palavras.
Obrigado por comentar...Volte sempre!