quarta-feira, 25 de junho de 2014

Poeta sem saber...




Observo as horas passar nos ponteiros
Vejo uma inspiração vindo bem devagar
Começo rabiscando os meus devaneios
E me encontro perdida tentando rimar

Absorvendo a linguagem mente-coração
Ando-me entrelaçada em meio às rimas
Em minha escrita está toda a expressão
Do que sempre guardei nas lembranças

Fui inventar de brincar com as palavras
Formei versos para tentar me entender
Cavalguei entre as minhas entrelinhas
E acabei tornando-me poeta sem saber



domingo, 15 de junho de 2014

Só nós e nada mais




Estou disposta a jogar tudo para o ar
Largar meus dramas e até endereço

Apenas te seguir para qualquer lugar
Tudo em prol do nosso tal recomeço

Juntando as partes do nosso coração
Nós nos entendemos entre segredos

Atiro-me de cabeça nessa nova paixão
Ah, só por você eu deixo meus medos